Buscar

Como funciona o sistema de saúde nos EUA?

Atualizado: 17 de Jan de 2019

Ja pensou o que todo esse debate sobre o sistema de saúde significa? O sistema de saúde americano pode ser difícil de entender e a palavra sistema pode acabar tendo significados diferentes. O sistema é administrado por centenas de empresas incluindo o governo, nonprofits e empresas com fins lucrativos.


A história do sistema americano e a seguinte:


Os tratamentos médicos eram difíceis de se conseguir pois apenas alguns médicos britânicos vieram para os EUA. Na metade do século 18, entretanto, New Orleans, Philadelphia e New York fundaram os primeiros grandes hospitais e assim, os primeiros cursos de medicina começaram. O primeiro hospital, The Royal Hospital in New Orleans, era muito caro para a maioria dos moradores, então eles construíram um segundo hospital, The Charity Hospital, que serviria para as massas e pessoas com baixas condições financeiras.

Durante a história dos EUA e até hoje, muitos hospitais são administrados por organizações religiosas que tradicionalmente ajudam com os tratamentos para indivíduos com baixa renda.

Durante a Civil War americana, o governo federal e alguns Estados começaram a construir hospitais para ajudar os soldados machucados. O governo também começou os tratamentos de saúde publica como água tratada, serviços de saneamento básico e controle da tuberculose, o que afetou significamente o inicio do século 20. A partir dai, o sistema de saúde americano se transformou em um sistema gigante administrado por diversos grupos. Em 1965, os sistemas de Medicare e o Medicaid, que oferecem planos de saúde para os idosos e para os que vivem abaixo da linha da probreza, foram ativados pelo presidente Lyndon Johnson. Isso criou um grande sistema federal de saúde que cobre milhões de americanos. E difícil expandir esses programas para cobrirem mais pessoas porque sempre acontecem controvérsias que a maioria dos politicos não querem abordar.


Debatendo o sistema de saúde:


O debate sobre se o governo deveria oferecer suporte na saúde e quanto deveria ser investido e um longo assunto. A primeira legislação, proposta pelo ativista Dorthea Dix, foi a 1854 Bill para o benefício dos indigentes. Apesar de passar pelas duas casas do congresso, a bill foi votada pelo presidente Franklin Pierce, que argumentou que a assistência social não deveria ser deixada nas mãos do governo federal.

Nos anos 1910s, quando muitos países europeus passavam a lei de nacionalizar a assistência médica para seus cidadãos, o presidente Theodore Roosevelt tentou pressionar o mesmo tipo de lei para os EUA. Entretanto, ele foi contrariado por politicos dos dois partidos principais. Os argumentos do debate continuam bem similares hoje em dia.

Os que defendem a universalização dos sistema de saúde nos EUA afirmam que somente o governo federal pode assegurar que todos os cidadãos estão cobertos. Adicionando, o dinheiro que o governo federal gasta hoje em dia para cobrir as assistências de emergência para os que não tem seguro de saúde e tão alto que seria mais eficiente se pudesse ter um sistema formal que cobrisse toda a população. Um sistema unificado seria mais fácil para negociar com as empresas farmacêuticas, hospitais e fornecedores dos equipamentos fazendo com que os custos sejam menores.

No entanto, existe uma historia longa nos Estados Unidos de desconfiança do poder federal. Os EUA foram, originalmente, designados com um governo federal fraco e um forte sistema de governadores estaduais para proteger contra a tirania. Mesmo esse equilíbrio ter mudado ao longo dos anos, muitos americanos ainda preferem limitar o poder do governo federal. Eles argumentam que se o sistema de saúde for administrado pelo governo seria mais burocrático e tiraria o poder de escolhas das mãos dos pacientes. Eles sentem que os tratamentos seriam mais regulados e menos individualizados. Eles também tem medo de que um grande sistema de saúde teria um custo enorme e aumentaria os impostos.


O sistema do seguro de saúde americano:


Mesmo existindo diferentes tipos de coberturas e os estados normalmente tendo as próprias regulamentações para os planos de saúde, alguns aspectos do sistema são similares ao longo dos EUA. Hospitais, clinicas, consultórios médicos e outras instalações médicas pertencem a várias entidades privadas e públicas. As empresas de plano de saúde são geralmente empresas separadas por esses e cuidam de um campo grande de diferentes assistências médicas.

Os pacientes pagam o planos de saúde por mês para ter a certeza de que estarão cobertos quando necessitarem ir para um médico, clinica ou hospital. As empresas dos planos cobrem milhares de pacientes, então eles tem a capacidade de negociar com os provedores de assistência médica para reduzir os custos e assim pagam pelos serviços.

Os planos do Medicaid e do Medicare funcionam da mesma maneira mas em uma escala maior. Como eles precisam negociar, as empresas dos planos de saúde geralmente têm uma rede de médicos em que acontecem acordos e os pacientes são cobertos para visitas aos médicos dentro dessa rede mas talvez não esteja coberto, ou coberto totalmente, para visitas a médicos fora dessa rede. As empresas de seguro, geralmente, cobrem os serviços considerados necessários pelos médicos, mas as vezes não cobrem os serviços que são considerados "eletivos". As empresas de seguro miram em manter os custos baixos mantendo ainda as coberturas necessárias para as assistências médicas.


A representação da assistência médica acessível:


O ato de assistência médica acessível e a proteção ao paciente, normalmente referido como "Obamacare", foi votado como lei em 2010. Ja que as companhias de seguros são privadas, muitos americanos ficaram sem cobertura por não poderem pagar ou não quererem um plano de saúde ou porque foram rejeitados devido as condições de saúde pré existentes. A administração do Obama tentou abordar alguns desses problemas com o sistema de proteção ao paciente e o ato de assistência médica acessível.


Estas são algumas das disposições principais da lei:


. As companhias não são permitidas recusar cobertura devido a condições pré existentes

. Foram estabelecidos requisitos mínimos para os planos de saúde.

. A elegibilidade para o Medicaid expandiu

. O Medicare sofreu reformas para melhorar a eficiência

. Os indivíduos sem planos de saúde pelo emprego são obrigados a comprar um plano

. Trocas de assistência de saúde foram feitas para facilitar a procura de um plano de saúde que ofereça o necessário para cada pessoa.

Sob a proteção do "Obamacare", 11 milhões a mais de americanos ficaram segurados do que antes. Mas essa lei veio como um problema para os Republicanos mesmo tendo passado pelas duas casas do congresso. Diversas tentativas de parar essa lei através da corte falharam. O debate sobre a assistência médica deve continuar por pelo menos uns 100 anos.



Para mais informações consulte:

healthcare.gov

heathreformgps.org





Encontrando o equilibrio entre ter saúde e despesas.

.

.



185 visualizações

BRASILEIRAS NOS EUA

©2023 by [Business Name]. Proudly created with Wix.com